Curso Básico de Francês #3 Falar de si mesmo

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Este é o terceiro artigo da série Curso Básico de Francês, então isso quer dizer que se você já leu o primeiro artigo você aprendeu a cumprimentar, se despedir, perguntar e responder se está tudo bem… 

Além disso, com o segundo artigo, você viu como se apresentar, falar da sua nacionalidade, como se usa o verbo “ser” e muito mais… Agora e se a conversa for mais longe e a pessoa te perguntar onde você mora, quantos anos você tem, sua profissão, se é casado ou solteiro… Como fazer para responder tudo isso?

Vamos começar com um exemplo e ver como essa pessoa dá informações a respeito dela, e preparar você também para fazer isso:

J’habite à Macapá, au Brésil.

J’ai trente ans.

Je suis journaliste.

Je suis marié et j’ai deux enfants.

Na primeira frase “J’habite à Macapá”, “Eu moro em Macapá”, você pode ver o verbo “habiter”, “morar”. Esse verbo faz parte do primeiro grupo, que você aprendeu como funciona no segundo artigo, quando vimos o caso do verbo “parler”, “falar”, e também como funciona aquilo que chamamos de pronome sujeito.

Se ficou alguma dúvida, você pode reler e rever o vídeo, mas, também vamos ver aqui de novo, assim você aproveita para revisar o que aprendeu. 😀

O verbo é como se fosse uma engrenagem, que você tira e coloca peças para poder funcionar como precisa. Assim, para o verbo “habiter”, que termina com “-er”, poder funcionar com as diferentes pessoas, você vai tirar o “-er” e vai acrescentar as terminações de cada pessoa, ficando assim, olha:

Habiter (Morar)

J’habit

Tu habites

Il / Elle habite

Nous habitons

Vous habitez

Ils / Elles habitent

E o mais legal é que agora sabendo as pessoas e as terminações, você pode fazer a mesma coisa com outros verbos do primeiro grupo (todos os que terminam com “-er”, com exceção do verbo aller, que vamos ver em outra oportunidade).  

Uma coisa importante que você pode notar é que em “J’habite”, o “je”, “eu”, para “colar” no “habite”, perde o “e” e ganha um apóstrofo, que é esse sinal que parece uma vírgula ali em cima, e fica então “j”: “J’habite”. Então o correto não é “je habite”, mas “j’habite”. 

Você já pode notar que isso do “je” perder o “e” e ganhar um apóstrofo para poder colar na palavra seguinte vai acontecer toda vez que a próxima palavra começar com vogal (a, e, i, o, u,) ou com “h” mudo.

Bom, agora vamos ver uma outra parte dessa mesma frase: “J’habite à Macapá, au Brésil”. Você tem aí duas palavrinhas muito importantes: “à” e “au”, que ficam na frente de cidades, países, regiões, etc. Elas são chamadas de preposições e se você conhece um pouco de gramática, já sabe que isso pode fazer na diferença ou trazer confusão na hora de falar.

Por isso, vamos aprender como isso funciona em francês: é simples, você vai ver! 😀

Se for na frente de um país feminino, um continente ou uma região, você vai usar “en”. Veja os exemplos: 

J’habite en France. (en + país feminino

J’habite en Amérique du Sud. (en + continente)

J’habite en Provence. (en + região)

Agora, se for um país masculino, você vai usar “au”. Por exemplo:

J’habite au Brésil. (au + país masculino

E se for um país plural? Aí você usa “aux”. Veja:

J’habite aux États-Unis. (aux + país plural

Um detalhe importante: se for um país masculino que começa por vogal (a, e, i, o, u), vamos usar “en”. Exemplo: 

J’habite en Angola. (en + país masculino que começa por vogal

Com o tempo você vai se acostumar a esse fenômeno de sempre mudar alguma coisinha antes de palavras que começam com vogal… não precisa se preocupar! Você vai perceber que isso faz muito sentido e é um dos motivos pelos quais o francês é tão bonito de ouvir: as palavras se encaixam umas nas outras e isso gera um efeito melódico muito legal. 😀

Mas, voltando ao nosso assunto e para ver o último caso! Se for na frente de uma cidade ou de um país que não usa artigo, como Cuba, por exemplo, você vai usar “à”.  

J’habite à Macapá, à Paris, à New York. (à + cidade

J’habite à Cuba. (à + país sem artigo)

Então você já sabe como fazer para dizer onde mora, e agora para falar da idade, vamos ver a estrutura: “j’ai trente ans”, “eu tenho trinta anos”. 

Aqui você pode ver um dos verbos mais usados: “avoir”, “ter”. Por isso, vamos aproveitar e ver a forma dele com todas as pessoas gramaticais:

J’ai 

Tu as

Il / Elle a

Nous avons

Vous avez

Ils / Elles ont

Você pode observar que a frase não é “je suis avec trente ans”, “eu estou com trinta anos”, como dizemos em português. 

Para falar da sua idade, você usa o verbo “avoir”: “j’ai”, “eu tenho”, o número da sua idade e “ans” “anos”: “j’ai trente ans”.

E para saber mais sobre os números, você pode ver esse vídeo aqui: Os números em francês

Agora, você falou onde mora, disse sua idade… pode estar se perguntando: como dizer o que faço da vida?

Muito simples! Você usa o verbo “être” com o “je” = “je suis” “eu sou”, que já aprendeu no primeiro artigo, e acrescenta a sua profissão, ou ocupação: étudiant, professeur, ingénieur, médecin, journaliste, écrivain… (Já sabe esses termos em português? Se ficou em dúvida, confira o exercício no fim do artigo para saber a tradução :D).

Então é só dizer: “je suis journaliste” “eu sou jornalista”

No caso de jornalista, é fácil porque o mesmo termo é usado para masculino ou feminino, ou seja: não importa se é o Pierre ou a Marie, os dois vão dizer “je suis journaliste”.

Mas e com as outras profissões e ocupações? Como é que faz em relação ao masculino e feminino? A regra geral para formar o feminino em francês é acrescentar um “-e” no termo masculino. Veja os exemplos:

Masculino Feminino

Je suis étudiant  Je suis étudiante

Je suis professeur Je suis professeure

Je suis médecin Je suis médecin

Daí você pode se perguntar: ok, eu coloco o “e” para formar o feminino, entendi. Mas porque “médecin” não vira “médecine”, então?

Boa pergunta! Isso acontece porque, como a maioria das profissões foram exercidas primeiramente por homens, até meados da década de 80, não existia o feminino de muitas profissões. 

Por isso, na França, muitas profissões não tinham a forma feminina, sendo comum o uso da profissão para a mulher dessa forma:

Madame le professeur

Madame le ministre

Depois de uma ação do governo para valorizar os direitos das mulheres, o francês passou a ter termos como “professeure”, “professora”, “ingénieure”, “engenheira”, etc. 

Por fim, mas não menos importante, além de onde mora, sua idade e sua profissão, é super importante falar se você é casado ou solteiro, se tem filhos e tudo o mais, não é mesmo?

Vamos ver:

Je suis marié (Eu sou casado)

Je suis mariée (Eu sou casada)

Je suis en couple (Eu estou namorando)

Je suis célibataire (Eu estou solteiro)

Je suis séparé(e) (Eu estou solteiro / a)

Je suis divorcé(e) (Eu estou divorciado / a)

J’ai deux enfants (Eu tenho dois filhos)

Se inscreva para receber novidades

Coloque aqui seu melhor e-mail e clique em enviar!

Veja Mais

O verbo “mettre”

O verbo mettre é um dos mais versáteis da língua francesa. Ele pode ter diversos significados e dá origem a diversas expressões. Hoje vamos ver

Maior canal de ensino da língua francesa do Brasil. Os Franceses Tomam Banho já acumula mais de 11 milhões de visualizações e ultrapassou a marca de 400 mil inscritos em apenas 3 anos. A proposta do canal é compartilhar conhecimento, ensinar o idioma e a cultura, além de dicas e curiosidades sobre França.

Inscreva-se para a newsletter