Loading...

Séries gratuitas

Maternidade: diferenças entre Brasil e França + vocabulário

Maternidade: diferenças entre Brasil e França + vocabulário

Essa série foram 30 lives feitas pela Céline no começo do período de confinamento, e recebemos muitos pedidos para disponibilizá-la novamente.

Nossa equipe de professores, então, preparou um resumo de cada aula, com explicações, respostas das perguntas que aconteceram ao vivo, além de exercícios para você ver, rever e praticar!

Vamos começar?

Hoje trazemos mais um tema para praticar vocabulário e expressões na prática, de maneira contextualizada, e de quebra aprender um pouquinho mais sobre a cultura francesa quando o assunto é maternidade. 

Lembrando que pode parecer que falar de maternidade é mais para as mulheres, mas saiba que mesmo que você seja um homem, esses assuntos podem te interessar também. 😀

Queria começar por uma curiosidade em torno da origem da palavra gravidez em francês: “grossesse”, já que esse termo pode causar confusão, pois pode parecer que “estar grávida” é “être grosse”. Não!!  “Grosse” é gorda, ou grande, em francês, e não grávida (e não é grossa também :D)

A origem da associação do termo “grossesse” com gravidez não tem uma relação com “gordura”, mas sim com tamanho, pois “gros” e “grosse” podem significar tanto “gordo” ou “gorda”, quanto “grande”, quando usados como adjetivo, como por exemplo: “C’est un gros défi !” “É um grande desafio!”.

Então, para não confundir, lembre-se que mesmo que gravidez seja “grossesse”, “grávida” em francês não é “grosse”, e sim “enceinte”, que também é interessante, se você for ver, pois o sentido tem a ver com cinto, cintura (do latim incincta – envolta com um cinto).

Se por um lado toda mulher grávida, seja no Brasil, na França ou em qualquer outro lugar do mundo parece mesmo ficar “grande” e “cingida” com algo em sua cintura, entre França e Brasil tem algumas diferenças culturais bem importantes.

O Brasil é conhecido por uma taxa elevada de partos por cesárea (accouchement par césarienne), e é uma realidade bem diferente na França, onde uma cesárea só acontece quando o parto natural (accouchement naturel) é contraindicado ou impossível de ser realizado.

No Brasil, a taxa de parto por cesárea gira em torno de mais de 50% dos partos, enquanto na França essa taxa é por volta dos 20%, segundo a Association Césarine.

Mas isso não quer dizer que de modo geral as mães francesas todas preferem então sentir as dores do parto… As últimas estatísticas realizadas pelo Inserm apontam para 77% do uso da anestesia peridural (anesthésie péridurale). Ou seja, mesmo que a maioria dos partos sejam realizados de forma natural, o uso da anestesia é bastante praticado. Se quiser ler mais sobre essa assunto, veja: Pourquoi tant d’accouchements sous péridurale en France?

Diferenças culturais de lado, o que é semelhante são as perguntas clássicas com que toda grávida se depara! Sim, na França também dizemos: “Meus parabéns!” “Está de quanto tempo?” “É menino ou menina?” “Será que não é gêmeos?” “Vai tentar parto normal?” 

Vamos ver cada uma dessas frases em francês:

“Parabéns!” “Félicitations !

“Você está de quanto tempo?” “Tu es / Vous êtes enceinte de combien (de temps / de mois)”?

“É menino ou menina?” “C’est un garçon ou une fille ?

“Será que não é gêmeos?” “Tu crois / Vous croyez que ce sont des jumeaux ?

“Vai tentar parto normal?” “Tu vas / Vous allez essayer d’accoucher naturellement ?

Agora vamos ver o vocabulário referente à maternidade aplicado no contexto de uma conversa:

– Salut, Virginie !

– Salut, Martine ! Comment ça va, vous deux ?

– Nous allons bien.. Je suis enceinte de sept mois et demi déjà ! Je commence à être fatiguée ce dernier trimestre ! Et toi, ça va les nausées ?

– Alors, oui ! Au début, je vomissais tous les jours et je ne mangeais presque rien…. J’avais l’impression d’être plus malade qu’enceinte ! Maintenant je commence à voir mon ventre grossir… je commence à réaliser que je porte deux bébés… C’est drôle !

– Deux bébés ! Je ne savais pas ! Ce sont des  jumeaux ? Tu connais le sexe ?

– C’est un garçon et une fille ! Bastien et Julie ! Et toi… raconte-moi : vous avez suivi un cours d’accouchement ? 

– Oui, le papa est bien préparé pour m’accompagner.. Enfin, je l’espère ! La date prévue est le cinq août … si tout va bien, si le travail ne se déclenche pas avant !

– On dit que les contractions sont plutôt tranquilles quand il s’agit du deuxième bébé… Tu crois que tu vas prendre la péridurale ? 

– Bien sûr, je suis très sensible à la douleur ! Et toi, avec deux, tu comptes accoucher naturellement ? 

– Oui, j’espère… on va voir !

Este exercício é somente para usuários logados.


Publicado por Tassiana

Formada em Letras Clássicas e Língua e Cultura Francesa, mestre em Estudos da Linguagem, é apaixonada pela origem das palavras e pelo ensino de língua francesa.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Join the discussion

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS